DE TUDO UM POUCO

O pato!


Quando criança nós queremos fazer várias coisas, geralmente ao mesmo tempo. Se você for menina até consegue, mas se for menino a coisa complica, pois já foi comprovado que o homem só consegue fazer uma coisa de cada vez.

Eu trabalho com tecnologia da informação e costumo dizer que sou binário, ou seja, 0 ou 1, se estou concentrado no computador não consigo responder há uma simples pergunta como: “Aceita um café?”

No esporte já fui diferente. Jogava futebol e jogando na linha era melhor na posição de macaco gordo, aquele que de tão ruim serve apenas para quebrar um galho, embora como goleiro até jogava direitinho, mas qual menino quer jogar no gol??? Jogava vôlei, futsal, handebol, basquete e claro, tudo ao mesmo tempo, sem me dedicar exclusivamente a nada. O que valia era participar e não ser o melhor, queria apenas me divertir.

Durante muito tempo segui nessa onda, mas com o passar do tempo fui me afastando destes esportes, acho que me desliguei de vez quando me mudei para Floripa em 2002. Como ainda não tinha amigos aqui, nessa época o esporte mais prático seria surfar. Bom, desde que cheguei até hoje tentei diversas vezes sempre insistindo, mas este é o esporte que você deve ter além de persistência muita paciência ao ponto que você não consegue perceber evolução e assim só me divertia dentro d`agua.

Sempre curti esportes aquáticos. Encarnei no windsurf em 2002, quase na mesma época que o surf, óbvio, tinha que fazer duas coisas ao mesmo tempo como sempre, a minha matética era simples, quando tem vento geralmente não tem onda e vice e versa. Comprei uma prancha que apelidei de “Titanic”, ela era grande e tinha boa flutuação, mas poderia afundar caso os remendos se partissem. Além da prancha tinha a vela que parecia um farrapo, tá bom, na época eu não tinha condições e achei esse “equipamento” adornando um jardim de uma casa, rodeada de belíssimas ervas daninhas.

Em 2007 já mais experimentado da vida troquei o windsurf pelo kitesurf, mas dessa vez eu comprei um equipamento decente, fiz aula e até hoje velejo tranquilamente e diga-se de passagem até com uma certa desenvoltura, mas sempre com o foco na diversão.

Os anos vão nos deixando mais experientes e com isso aprendemos a lidar com certas situações e não cometemos os mesmo erros.

Quando aderi a corrida e fiquei de verdade apaixonado por este esporte comecei a treinar com mais foco e seguindo orientação de uma assessoria. Estes tempos comecei novamente a delirar acho que dopado pela endorfina de algum treino ou talvez desidratado sei lá, comecei a “viajar” que queria correr uma Maratona ainda este ano antes mesmo de ter concluído uma Meia e cinco minutos depois já pensava em Triatlhon.

Nesse momento tive um insight e lembrei da história do pato.

O pato é um animal muito peculiar, para alguns até serve para ser saboreado a mesa, o que não é o meu caso, pois não gosto muito de aves de espécie alguma. Mas o “causo” é diferente e engraçado.

Ele caminha, corre, nada e voa. Até ai tudo bem, só que ele caminha todo esquisito, corre apenas para ganhar de uma tartaruga, não ultrapassa 2 metros de altura em voo e nada muito mal. Resumo, o pato faz várias coisas, mas não é bom em nenhuma.

Anos atrás eu não daria bola para isso e iria fazer tudo ao mesmo tempo, mas como disse, a experiência nos ensina há não cometer os mesmos erros. Não tenho pretensão de ser um Haile (recorde mundial em maratona 2h03min59s) e muito menos o Eduardo Sturla (campeão do Ironman Brasil 2011), irei fazer uma coisa de cada vez, não quero ser mais um pato, embora ainda me divirta como criança!

Anúncios

9 comentários em “O pato!

  1. Tenho esse problema em querer fazer tudo ao mesmo tempo… Assim como correr e etc, mas sei que no fundo minha verdadeira paixão é ginastica olimpica, por isso irei me dedicar mais a isso e parar de ser pato! hahaha
    Muito bom seu insight! ahhaa

    bjs

    Curtir

  2. Só fui ler agora e adorei, Sempre escreves muito bem meu patinho querido!Acho que tem mais patos na familia, me incluo aí!kkkkkbjs te
    amo

    Curtir

  3. Di coloca a Juju no time dos “patos”!!!!

    e nâo esquece que é “pateando” que fizemos nossas escolhas!
    beijâo te amo!

    Curtir

  4. Pata feeling’s Diegão!!!! hahahahhaha
    13 anos ballet clássico, aliado a ginástica ritmica, jazz, dança contemporânea e só pra arrasar geral – tecido acrobático, não acabei no circo por um fiozinho do destino, hehheheheh!!!
    Te ganhei!!!!! hahahahhaha
    Até que enfim, luz divina, uma série de lesões, acabei nas pistas e, como bailarina meia boca, finalizo como uma boa corredora pangaré!!!! Assim pretendo ficar!!!
    Abraços, tks pelas risadas matinais me sentindo a verdadeira pata!!!! hahahahhahaha

    Curtir

    1. Hehehe Márcia, pensei que só eu era um patinho kkk. Qdo falo isso pra minha mãe ela se mata de rir. Pior, tenho um primo de uns 11 anos que é igual. Faz capoeira, futebol, ginastica, judô e tudo que aparecer!! Hehehe mais um para o time! Bjo e boa tarde!

      Curtir

Obrigado pela visita e participem comentando no blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s