DE TUDO UM POUCO

Ovo frito e espumante!


Duas coisas que eu não gosto de jeito e maneira é ovo frito e espumante. O primeiro não me apetece e o segundo as vezes é necessário para fazer um brinde de final de ano, comemorar algo especial, mas definitivamente não é minha bebida ideal.

Eu não sou fresco para comer e muito menos para beber. Óbvio que se houver a possibilidade de escolha eu não escolherei nenhum desses dois, muito menos os dois juntos.

Não sei ao certo qual o meu problema com o ovo frito, não lembro se minha mãe me ofereceu muito quando eu era criança ou algo parecido. Em relação ao espumante tenho péssimas lembranças da minha adolescência. Era uma noite de Reveillon e após a passagem do ano em casa a reunião seria na casa de um grande amigo e de lá partiríamos para o clube da cidade para o “grandioso” baile.

Imaginem, você com 15 anos já é adulto para algumas coisas e criança para outras, mas mesmo assim quer dominar o mundo e nada ou ninguém pode impedir você de experimentar, sempre experimentar aquilo que os mais velhos dizem para você não fazer. Pois no “esquenta” na casa do meu amigo Tarek foi uma misturança de cerveja, espumante e até mesmo Cidra Cereser, essa mesmo que você está imaginando, aquela da maçãzinha do rótulo, ruim que é uma barbaridade, chegou a me embrulhar o estômago agora, mas vamos em frente.

Depois de apreciar todas as bebidas e rumar em direção ao clube pouca coisa me lembro entre dois momentos distintos: sentar na frente do palco onde a banda tocava e a hora que fui deixado no banheiro de casa pelos meus primos gêmeos. Há relatos que eu “devolvi” todo o espumante e a Cidra Cereser no vestido branco de uma menina que dançava a minha frente e que abri um vácuo no salão por alguns minutos até ser retirado as pressas pelos meus primos, nobres almas que me salvaram da execração pública. Bom, tempos depois eu até namorei a menina do vestido, mas sempre ouvindo a flauta que havia detonado o vestido dela e acabado com o baile também.

Alguém deve estar se perguntado por que eu dei toda essa volta até chegar ao ponto que relato agora. No post anterior falei do treino de sábado de praias e trilhas para o Mountain Do e que além da bela paisagem havia ganho uma bolha.

No domingo acordo sem conseguir colocar o pé no chão e me preocupei, pois ardia muito e ao retirar a meia percebi que estava lascado, a bolha era GIGANTE e parecia um ovo frito e as bolhinhas na volta da bolha Mãe me lembraram o espumante.

Na semana anterior eu havia comprado uma meia especial para corrida, que dizia ser a prova de bolhas, mas decidi não estreiá-la em um treino longo pois poderia não ser eficiente como dizia em seu slogam. Dessa forma preferi pegar uma meia de confiança que acabou me deixando na mão.

Procurei na internet qual seria a melhor maneira de tratá-la e com o apoio da minha instrumentadora (minha noiva) iniciei uma microcirurgia. Como diz o ditado de médico e de louco todo mundo te um pouco. Irei testar várias alternativas, como Bepantol, Minancora e por último polvilho granado, receita do twittersrun @adcorredor, vamos ver o que é melhor.

O pior não será ficar no estaleiro sem treinar uns dois ou três dias ou colocar sapato para ir trabalhar, o pior mesmo é ficar mancando e ouvir os outros falando: “cuidado com o rapaz mancando” ou baixinho alguém rindo “ele tá deixa que eu chuto”. Definitivamente odeio ovo frito e espumante.

Imagem chocante de um pé ” ovo frito”.

Anúncios

Um comentário em “Ovo frito e espumante!

Obrigado pela visita e participem comentando no blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s